Cerca de 80 pessoas estiveram presentes no auditório da Administração Regional do Guará para saber sobre o andamento do projeto

Resultado de imagem para cave guara
A Secretaria de Projetos Especiais (Sepe) ouviu nesta sexta-feira (13) a população e entidades do Guará e região, e também apresentou o projeto de revitalização do Complexo Esportivo e de Lazer da cidade (Cave), que compreende o Estádio Antônio Otoni Filho, o Ginásio Esportivo do Parque do Guará e o Clube Vizinhança.

Cerca de 80 pessoas estiveram presentes no auditório da Administração Regional do Guará para saber sobre o andamento do projeto. A administradora, Luciane Quintana, abriu o evento agradecendo os presentes e falou da importância da revitalização do complexo para a população da cidade, já que o “Cave é de toda a comunidade que vive aqui”.

O vice-presidente da Câmara Legislativa do DF, deputado Rodrigo Delmasso, lembrou que o setor público vem sofrendo uma crise desde 2015 e as Parcerias Público Privadas (PPP) são uma saída para capitalizar recursos. “A gente escuta pessoas dizendo que o Estado abandonou a cidade, mas quando o Estado torna possível parcerias com o setor privado para revitalizar algum local, a população está contra”, ressaltou.

Delmasso parabenizou o governador Ibaneis Rocha por dar andamento a projetos antigos, que vieram de outras gestões. “Nosso governador está acima disso, se despiu das ideologias para entregar à população um serviço de qualidade”, finalizou. Depois da apresentação da mesa, os técnicos da Sepe fizeram uma breve explanação sobre o projeto e exibiram um vídeo que mostrou como ficará todo o complexo do Cave.

Então, a população, pode começar suas indagações e sugestões. Foram 17 inscritos, entre moradores e entidades da região. As principais dúvidas foram em torno do que entraria realmente na concessão do complexo. Algumas entidades estavam preocupadas com as pistas de bicicross e de skate, a Casa da Cultura, o Centro de Convivência dos Idosos, o Clubinho dos Escoteiros e os quiosques que ficam no Pontão do Cave.

Quanto a essas indagações, os técnicos informaram que as pistas de bicicross e de skate serão reconstruídas dentro da área da administração regional, sem prejuízos para o uso pela população. Quanto aos idosos, já existe uma casa, próxima ao complexo, que será toda reformada e que vai atender melhor aqueles que usam o espaço. O Clubinho dos Escoteiros, segundo a secretaria, também terá outro local. Quanto a Casa da Cultura, e os quiosques, eles não serão afetados pelo novo projeto e continuam onde estão.

A audiência pública durou cerca de três horas e as indagações foram bem equilibradas. Embora algumas pessoas fossem contrárias à parceria com a iniciativa privada por medo de perderem o espaço, muitas outras defenderam esse modelo de gestão. Alguns moradores reconheceram que a única maneira de conseguirem revitalizar o local, que já está abandonado há mais de 15 anos, seria com a ajuda do setor privado, pois o governo não tem recursos e o pouco que tem teria que investir em educação e saúde, que são mais urgentes.

Para o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros, de fato a população abraçou essa ideia das parcerias. “Antes quando se falava numa concessão ou numa PPP, você via a população um pouco reticente, achando que aquilo era uma obrigação exclusiva do governo. Mas hoje o que se vê é uma mudança de mentalidade.

A população compreende que chegou o momento de que não é só cobrar, mas sim entender e ter consciência cívica. E pensar que eu vivo nesse lugar, eu preciso que esse lugar seja melhor para todos nós”, esclareceu.

Os cidadãos que não conseguiram participar da audiência puderam mandar suas sugestões até às 18 horas de hoje pelo e-mail, sepe.cave@buriti.df.gov.br, ou por escrito, mediante protocolo da Casa Civil do Distrito Federal.

E durante o evento, foram distribuídos panfletos para aqueles que não quiseram usar o microfone escreverem suas indagações, que foram recolhidos pela equipe da Sepe.

Tudo que foi discutido durante a audiência vai ser submetido a estudo e a medida que incrementar e fortalecer o projeto, poderá ser implementado na licitação.

Cronograma de andamento do projeto

A obra de revitalização do Cave vai custar R$ 27 milhões, com todo o investimento vindo do setor privado. A previsão de publicação do edital é fevereiro de 2020. A assinatura do contrato com a futura concessionária deve ser finalizada até julho do próximo ano e as obras tem estimativa de início no final de 2020.