A data marca a luta dos brasileiros por melhores condições de trabalho



27 de julho é marcado pelo Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho. A data marca a luta dos brasileiros por melhores condições. Entre as doenças relacionadas ao trabalho, está a Perda Auditiva Induzida por Ruído (PAIR). Segundo a Sociedade Brasileira de Otologia, cerca de 35% dos casos de perda auditiva acontecem por exposição excessiva a ruídos e uma das principais causas são relacionadas a doenças ocupacionais. E até mesmo o alto estresse pode levar à surdez. Entre as profissões com mais risco, estão: trabalhadores da indústria, construção, metalmecânica, pessoas que trabalham em aeroportos, restaurantes, boates e radialistas.  

 

Gilvânia Barbosa, fonoaudiólogo e especialista em audiologia da clínica Microsom, ressalta que a surdez parcial ou total ocorre pela exposição a ruídos por várias horas. “O trabalhador fica exposto ao nível de pressão sonora acima de 85 decibéis (dB)”, explica o especialista. 


A fonoaudióloga alerta para os sintomas: "Os profissionais precisam estar atentos se estão com zumbido, dificuldade para compreender a fala, tonturas, dores de cabeça, alteração no sono, intolerância a sons e até perda da capacidade de identificar origem de fontes sonoras”. 

 

Barbosa ressalta que quando há percepção dos sinais da perda auditiva, é importante buscar ajuda imediata de um profissional, pois, infelizmente, esse tipo de surdez pode ser irreversível  na maioria dos casos. “Por isso, pessoas que estão expostas a ruídos sonoros  diariamente precisam fazer o exame de audiometria preventivamente para avaliar a audição”, afirma a especialista em audiologia.  

 

Estresse 

De acordo com a fonoaudióloga, até mesmo momentos de muito estresse podem levar à  perda auditiva. Por isso, é importante também cuidar da saúde mental.  “O zumbido pulsátil, também conhecido como um ruído rítmico, pulsa no ouvido do paciente seguindo os mesmos batimentos cardíacos. Então, quando a pessoa tem um pico de estresse pode alterar a pressão e a via auditiva fica comprometida. Dessa forma, o zumbido tende a aumentar, esse é um tipo de perda súbita”, explica.  

 

EPIs 

Gilvânia também alerta para o uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). “Os itens de segurança podem proteger a saúde auditiva do trabalhador. Além disso, é dever do empregador fornecer os EPIs adequados para a cada atividade”, conclui.