A lei institui o plano anual de desenvolvimento do vôlei, que estabelecerá ações governamentais para o incentivo do esporte no Distrito Federal

Foto: Rogério Lopes.

Nesta quinta-feira (19), foi sancionada a Lei n.º 7.141 de 2022, de autoria do vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Delmasso (Republicanos), a proposta estabelece a Política Distrital de Fomento ao Voleibol no Distrito Federal, denominada Lei Pró-Vôlei. Esta lei visa garantir a prática do esporte por meio da iniciativa e do fomento público, destinado às modalidades do voleibol, vôlei de praia e vôlei sentado paralímpico.

Delmasso explica que este projeto "oferece à população a oportunidade de entrar no esporte regional, já que o projeto poderá contribuir para o desenvolvimento local. A expectativa é que estimulando o envolvimento dos diferentes setores da comunidade, e, criando oportunidades de integração, será possível gerar um desenvolvimento pessoal, social, educacional e profissional da criança e do adolescente menos favorecido e, em situação de risco", defendeu o deputado.

O ex-técnico e atual CEO do Brasília Vôlei, Flávio Thiessen, declara que a proposta marca um momento único para o voleibol de nossa cidade. "A Lei do Pró-Vôlei, não é apenas uma lei de apoio ao voleibol, mas sim um marco na história do esporte, e em especial do voleibol, no Distrito Federal. A Lei ao criar uma política de fomento, possibilita o acesso da Federação, dos clubes e dos atletas aos recursos necessários para o desenvolvimento do voleibol em todas as vertentes. Isso trará um avanço na nossa modalidade e levará o vôlei do DF a uma posição de protagonismo no cenário nacional".

Como ferramenta de garantia da lei, será criado anualmente o Plano Anual de Desenvolvimento de cada uma das modalidades especificadas na lei. Neste plano, que deverá ser elaborado pela Federação de Voleibol do Distrito Federal, será incluído as ações necessárias por parte do governo para a prática do vôlei no Distrito Federal.

Deverá ser observado uma série de diretrizes na criação do plano, como a implementação de núcleos para a formação de atletas, o apoio às equipes de vôlei e a realização de campeonatos e torneios de todas as categorias de idade. E ainda, o desenvolvimento de projetos sociais envolvendo o esporte e de cursos para a formação de árbitros e novos técnicos.

Para a atleta de vôlei de praia brasiliense, Fabíola Constâncio, a Lei de Delmasso será uma referência e um modelo a ser seguido pelos outros Estados. "Estou feliz demais pela sanção dessa Lei! É muito importante para nossa modalidade ter esse apoio. O voleibol de Brasília não pode morrer, precisa urgentemente ser fomentado e o deputado Delmasso tem feito muito por nós. Não só o voleibol de alto-rendimento de quadra ou areia, mas também a base, que é a renovação e a continuação do esporte. E não deixou de lado as categorias masters e a categoria do vôlei sentado. Simplesmente sensacional! Tenho acompanhado e visto o desempenho dele para fazer todo esse meio crescer e não vejo a hora de ver esses projetos acontecendo a todo vapor".

O Distrital disse ainda que "através do esporte bem direcionado na comunidade conseguiremos criar ambientes favoráveis para combater a criminalidade e o uso das drogas, dificuldades no estudo, brigas familiares, violência, tendo como objetivo o desenvolvimento integral do indivíduo utilizando a formação esportiva como ferramenta", afirmou.

Ao ser apresentado, o Plano Anual deverá ser analisado em até 90 dias pelo órgão responsável do governo, que deverá obedecer ao tempo para que o fomento à prática esportiva seja permanente.

Para custear o projeto, será utilizado os recursos do Fundo de Apoio ao Esporte do Distrito Federal, com recursos de emendas parlamentares e outros captados no decorrer da execução desta política pública.